Categoria de base é investimento, não custo
01/10 00:00

Categoria de base é investimento, não custo

A disputa do Campeonato Rondoniense Sub-17 movimentou a última semana o futebol em Porto Velho, com a participação de grandes equipes que mostraram suas forças a cada jogo. O brilhantismo da competição também foi atribuído aos inúmeros torcedores que acompanharam as equipes em todos os jogos demonstrando, inclusive, respeito com os meninos que se esforçaram ao máximo dentro de campo.

O Campeonato Sub-17, promovido pela Federação de Futebol do Estado de Rondônia (FFER), foi mais uma lição de que os clubes devem olhar com total atenção para as categorias de base. Não é mistério que Rondônia é um celeiro de novos craques, mas é preciso que os clubes estejam verdadeiramente focados para esse contexto. Vale salientar que a formação dos atletas é voltada para a filosofia de jogo desde as primeiras categorias, facilitando a transição futura para o profissional.

Temos alguns exemplos de que investir nas categorias de base pode trazer bons resultados. Quem não se lembra do extinto CFA, por exemplo? Que surgiu com jogadores revelados no próprio clube e chegou a trazer o primeiro título de campeão Profissional para a Capital. Mas também temos exemplos de clubes que não olham com atenção para a base. A falta de um trabalho contínuo e consistente traz à tona uma cultura que valoriza mais o de fora.

Quem acompanhou aos jogos do Estadual Sub-17 conferiu a determinação e talento de cada jogador a cada lance disputado. As fases semifinal e final do Sub-17, por exemplo, foram disputadas no mais alto nível dentro de uma disputa sadia. Lógico que a derrota é amarga, e fez alguns jogadores sair do equilíbrio e partir para o desrespeito, mas nada que atrapalhasse o brilho da competição.

A final foi disputada entre duas grandes equipes: Avaí e R1 Esporte. O título ficou com o Avaí que venceu o rival por 1 a 0. Mas, o que temos que destacar foi o comprometimento dos jogadores que deram um espetáculo aos torcedores que compareceram ao estádio Aluízio Ferreira no final da tarde de domingo, 30.

O conceito de fair play está vinculado à ética no meio esportivo, onde os praticantes devem procurar jogar de maneira que não prejudiquem o adversário de forma proposital. O time do R1 Esporte deu exemplo de fair play ao ficar para a cerimônia de entrega de medalhas mesmo tendo perdido a decisão, coisa que alguns clubes do Profissional deixam de fazer quando perdem o título e desprezam a premiação de segundo lugar.

Enfim! Os clubes que disputaram o Estadual Sub-17 estão de parabéns. É preciso salientar que categoria de base é investimento, não custo. A afirmativa baseia-se na ideia de que os clubes possam ter a certeza de que Rondônia tem uma safra nos juniores com bastante qualidade. Investindo nesses jovens talentos, acreditamos que, ao longo dos anos, o clube terá menos dificuldades para montar seu elenco verdadeiramente “prata da casa”. 

ATIVIDADES

Com a realização do Estadual Sub-17, a Federação de Futebol do Estado de Rondônia direciona as atenções para a última competição da temporada. Trata-se do Estadual Feminino que deve ser disputado no mês de novembro. No entanto, toda a equipe técnica já está trabalhando nos regulamentos e programação das competições de 2019. Os diretores de departamentos da entidade máxima do futebol rondoniense estão preparando todos os detalhes para a realização do Conselho Arbitral do Estadual Profissional de 2019. A data ainda será confirmada pela FFER.

E tenho dito!!!



Autor: Jornalista Paulo Ricardo


Últimas