Heitor defende propostas durante Audiência Pública na ALE

Heitor defende propostas durante Audiência Pública na ALE

Propostas como incentivos fiscais visando garantir melhores condições aos clubes profissionais do Estado foram defendidas pelo presidente da Federação de Futebol do Estado de Rondônia (FFER), Heitor Costa, durante a Audiência Pública na Assembleia Legislativa (ALE), na manhã de quinta-feira, presidida pelo deputado estadual Adelino Follador (DEM) para que sejam discutidas medidas que possam alavancar o futebol profissional, bem como ouvir dos dirigentes dos clubes ideias de possam ir ao encontro do desenvolvimento. Presente à reunião também estiveram o vice-governador do Estado, Daniel Pereira, o presidente do Legislativo Estadual, deputado Maurão de Carvalho (PP), os deputados Moreira (PDT) e Alex Redano (SD), o superintendente da Sejucel, Rodnei Paes, bem como presidentes de clubes filiados à FFER.

Ao tecer comentários sobre medidas que podem ser colocadas em prática, Heitor Costa lembrou das mesmas propostas que a entidade apresentou aos governos anteriores mas que não ganharam forças. Para ele, a iniciativa da ALE é salutar para que se traga mais “oxigênio” aos clubes, visando a disputa de competições estaduais e nacionais como a Copa do Brasil, Copa Verde, Campeonato Brasileiro Série “D”, bem como as da categoria de base (Copa São Paulo, Copa Promissão e outras).

O presidente da FFER fez explanação de sua participação da CPI do Futebol, na manhã de quarta-feira, atendendo ao pedido do senador Romário. “Temos mostrado que a entidade tem ajudado sim os clubes na medida do possível. Este ano, por exemplo, contribuímos com as despesas das taxas de arbitragem, dando aos clubes que disputaram o Estadual uma economia que foi utilizada em outras despesas das equipes. Além de outras medidas que a FFER tem tomado nos últimos anos, como apoio em transferências, bolas e outras que contam com parcerias”, enfatizou.

O deputado Adelino Follador é de acordo que o Poder Público precisa entrar nessa corrente para que o futebol profissional seja fortalecido. Para o parlamentar, a participação do Poder Público seria um marco para impulsionar esse processo de crescimento do futebol. “Queremos resultados satisfatórios se possível já para o próximo ano. Para isso, estamos todos reunidos em uma fala simples em busca de soluções”, argumentou.

O estádio Aluízio Ferreira, o Aluizão, novamente foi alvo das discussões por ainda continuar esquecido e podendo ser o maior obstáculo do Genus que no ano que vem vai disputar a Copa Verde e Copa do Brasil. O próprio presidente do Genus, Evaldo Silva, demonstra preocupação quando o assunto é Aluizão. Ele destacou todo o apoio que os clubes têm recebido da Federação de Futebol e da importância de que se trazer à tona essas discussões para o bem dos clubes que geram economia ao Estado.












Autor: Jornalista Paulo Ricardo - assessor FFER