União garantiu o título Sul Americano, diz Bruno Costa

União garantiu o título Sul Americano, diz Bruno Costa

A euforia pela conquista do 11º título Sul-Americano Sub-17 ainda é vivida pelo observador técnico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Bruno Costa, rondoniense e que tem um papel importante quanto ao monitoramento de jovens atletas, dando dessa forma, suporte para o técnico as Seleção Brasileira Sub-17, Caio Zanardi. Segundo ele, a união e a personalidade do grupo foram fatores fundamentais para a conquista do título.

Bruno está em Porto Velho para o feriadão de Páscoa e, na manhã de sexta-feira, foi recebido pelo presidente da Federação de Futebol do Estado de Rondônia (FFER), Heitor Costa, que destacou a campanha de todo o grupo, resultando em mais um título para o país. Na ocasião, o observador da CBF entregou ao presidente da FFER uma camisa da seleção brasileira toda autografada pelos jogadores campeões sub-17.

Ao terce comentários sobre em qual momento a seleção se fortaleceu para brigar pelo título, Bruno Costa ressalta que o grupo se uniu mais ainda após a derrota de 3 a 2 para a Venezuela, na primeira fase da competição. “A equipe estava ganhando o jogo por 2 a 0 e a virada venezuelana para 3 a 2 foi um baque de início, porém sentimos que a garotada se fechou e mostrou personalidade e união para as próximas partidas de cabeça erguida”, argumenta.

Após a derrota para a Venezuela, a CBF publicou o diário dos jogadores com o seguinte destaque: “Toda derrota dói. Algumas doem muito. Por estar ganhando por 2 a 0 e dominando o jogo, a derrota para a Venezuela machucou. Ainda mais porque significou uma semana tensa, ainda sem a vaga no hexagonal final garantida. Poucos na delegação conseguiram dormir bem naquelas quatro noites até o jogo contra o Peru. Mais aprendizado. Para todos”.





E funcionou, argumenta Bruno Costa que já começa a traçar planos para a descoberta de novos valores pelos gramados do Brasil a fora. “Nosso trabalho tem surtido efeito e felizmente temos a confiança do técnico Caio. Vale lembrar que a Confederação Brasileira mantém constante a preocupação quanto às categorias de base e tem motivado esse trabalho nos clubes do país”, ressalta.

“Viajo pelo Brasil todo, acompanhando as principais competições de Categorias de Base que acontecem em nosso país, para detectar os novos talentos do futebol brasileiro e dar todo suporte e informações necessários para os treinadores das seleções na hora de convocar um atleta. Quando não temos competições acontecendo, faço uma programação de visitas aos principais clubes formadores do futebol brasileiro, para acompanhar treinamentos, jogos amistosos e ver como estão os atletas que já foram observados e mapeados”.











Autor: Assessor de Imprensa: PAULO RICARDO