Dunga celebra vitória sobre a França: “Deu gostinho”

Dunga celebra vitória sobre a França: “Deu gostinho”

Dezessete anos depois, Dunga voltou a defender a seleção brasileira no Stade de France. Agora como treinador. Viu novamente um time fazer três gols e vencer, mas desta vez foi o dele. O Brasil derrotou a França em Paris por 3 a 1, de virada, com gols de Oscar, Neymar e Luiz Gustavo. Varane marcou para os franceses. Não valeu título, muito menos uma Copa do Mundo como em 1998, mas lavou a alma. No mesmo palco lotado, em que antes de a bola rolar alguns dos algozes de Dunga foram homenageados, a Seleção conquista uma vitória saborosa. O gosto é de vingança, sim, mas Dunga preferiu minimizar a revanche.
- Deu gostinho porque temos que ganhar dentro da Seleção, vencer, fazer um bom jogo. A equipe se comportou bem, saiu compacta, trabalhou bem a bola. Nada é perfeito. Fizemos faltas que poderíamos ter evitado, sabendo que a França é muito forte na bola aérea. A equipe voltou a ter equilíbrio. Em termos de grupo, os jogadores que entraram com cinco, 10, 15 minutos, entraram com sorriso de representar a seleção brasileira.
Dunga também tinha um sorriso no rosto. Mas contido. Disse que não usou a atmosfera que cercou o jogo na preparação do time, mas deixou claro que o resultado precisa ser celebrado.
- Era um jogo, nós tínhamos de ganhar, sempre é difícil jogar contra a França. Futebol se ganha e se perde. Sempre é bom ganhar de um adversário forte. Sem dúvida nenhuma. Era um jogo superdifícil. Pela França e porque há três meses não estávamos juntos. Tivemos um dia de treinamento.



Autor: cbf