Após confirmar o escudo Fifa, Márcia Caetano mira Olimpíadas

Após confirmar o escudo Fifa, Márcia Caetano mira Olimpíadas

A árbitra assistente Márcia Bezerra Lopes Caetano novamente entra para a história do futebol e da arbitragem de Rondônia, como única oficial da arbitragem do Estado a integrar o quadro internacional de árbitros da Fifa, confirmado no início da semana através da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A partir de 2015, a rondoniense poderá ser escalada para jogos internacionais, como Copa Libertadores, amistosos e outras competições.

Márcia iniciou sua carreira na arbitragem ainda na adolescência, em Porto Velho, em 1997 entrou para o Quadro Estadual de Arbitragem da FFER (Federação de Futebol do Estado de Rondônia), em 1998 já fazia parte da RENAF (Relação Nacional de Árbitros de Futebol) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Tenho na família profissionais que sempre se dedicaram à arbitragem como meu pai Lourival Domingos (Becão) e o marido Almir Belarmino. Ambos fizeram história na nossa arbitragem rondoniense. Me dediquei muito aos trabalhos e exercícios com intuito de voltar ter a honra de ostentar o escudo Fifa e isso coroa todo o empenho e apoio que sempre recebi de todos”, disse.

Este ano, a assistente atuou em 18 jogos de competições nacionais, como Campeonato Brasileiro séries “A”, “B”, “C” e “D”, Copa do Brasil. Dentre os jogos em que atuou, destaque para Flamengo e Coritiba, disputado no dia 3 de setembro no Maracanã.

Márcia acredita que a conquista o escudo Fifa possa estimular o surgimentos de novos profissionais da arbitragem no Estado e, inclusive, motivar os que já atuam. Ao falar de seus objetivos, a rondoniense afirma que pretende fazer um bom trabalho em 2015 que possam credencia-la para as Olimpíadas de 2016, que será disputada no Brasil. “Esse é o objetivo. Estou com a cabeça tranquila e sabedora dos desafios, sempre acreditando no nosso trabalho e, principalmente em Deus”, disse emocionada.

Para manter a condição de árbitra assistente, Márcia Caetano fala que todo o trabalho será prosseguido com mais afinco, principalmente nas questões técnicas. Ao ser questionada sobre o que representa ser a única assistente Fifa da Região Norte, a rondoniense disse que serve de motivação para manter o mesmo esforço.



Autor: Assessor de Imprensa: PAULO RICARDO